Connect() 2017, novidades de Data Platform

As novidades de Data Platform condensadas em uma horinha e picos…

10 minutos de apresentação pelo Rohan Kumar com a usual conversa mais comercial. A reter que foram mais de 2 milhões de downloads de versões beta do SQL 2017 (10x mais do que as do SQL 2016).

Depois são 50 minutos sempre a abrir com muita informação e algumas demos interessantes.

Fala-se de novas funcionalidades, como Graph Data, Machine Learning com R e Python directamente na BD, Adaptive Query Processing e Automatic Plan Correction.

Uma demo gira de uma empresa que mudou de Redshift para SQL 2016 e, aquando da saída do SQL 2017, aproveitando o know-how que tinham, mudaram para Docker + Linux o seu ambiente de produção.

Deu-se alguma importância ao Azure Database Migration Service.
Realmente um dos obstáculos à adoção de Azure SQL Database é o inerente custo da alteração do código. Fala-se em “maioria das aplicações” a migrar sem problemas (cerca de 53%, segundo o Rohan), valor que com Managed Instances querem que chegue aos 100%. Uma boa promessa para quem precisa de CLR ou SQL Agent.
Boas notícias para quem tem Software Assurance, pois com o Azure Hybrid Benefit há grandes vantagens ao nível do preço. Ainda não há valores, mas para Windows Server chega aos 82% de desconto.

Como fazer performance tuning automático ou sermos avisados se a nossa BD está a ser atacada? “Simples”. Analisando 700TB de telemetria por dia dos 2 milhões de BD activas e usando modelos de Machine Learning em cima disso. Eu disse que era simples?

Mais à frente há uma demo interessante com o novo PREDICT que, mantendo o modelo de Machine Learning dentro da BD, dispensa de retirar de lá os dados, melhorando a performance para valores “interessantes”.

Mais demos, uma de PostgreSQL migrada para Azure e outra de CosmosDB, rematada com informação sobre o novo serviço Databricks e… o tempo chegou ao fim. 🙂

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *